São simples sopros que libertam pequenas palavras que me habitam

22
Mar 09

retirada da internet

 

Desperta-se do sonho outonal,
Esquecendo os tapetes de folhas e
Sorrisos envergonhados
 Pela candura invernal..
Com suave murmurinho
O mar abraça a areia que ampara
Pegadas de histórias
Centelhas de vida.
Espreguiça-se o sol,
Pelas nuvens reformadas,
Às jovens andorinhas
Que perscrutam os céus
E rasam as flores,
Arco-íris de aromas.
O vento sossega
E enamoram-se aqueles
Loucos de ilusão
Que acolhem a primavera
Sempre presente no seu coração.
 
Para fábrica de histórias
autora: eu

 

soprado por soprosdemar às 01:19
sinto-me:
música: Playback - Carlos Paião

comentários:
ADoro a primavera!
lindo poema.

beijos
Açucena a 22 de Março de 2009 às 20:05

Lindo poema!

beijinhs
Açucena a 2 de Abril de 2009 às 11:41

Março 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

23
24
25
26
27
28

29
30
31


PREMIOS
mais sobre mim
pesquisar sopros
 
links
sopros passados