São simples sopros que libertam pequenas palavras que me habitam

06
Fev 08

Preciso de sóis a circunscrever-me, de tempestades para me levarem e de ciclones para me rejuvenescerem.

Preciso de neblina para encobrir o desejo de ser mais luz.

Preciso de não ser semelhante ás outras rosas de teu jardim.

Preciso... mas não sou.


Neste meu trilho, um novo caminho surgiu e vou escolhe-lo mesmo que murche um pouco. Às vezes isto sucede, quando não recebemos nem um pedaço do que damos, quando não se sente o que realmente se confessa ou nada se faz para nos alegrar.


Preciso de sopros de esperança, alegria, ternura, carinho, aventura, solidariedade, respeito, consideração e sinceridade... simplesmente porque mereço por cada palavra de apoio que solto, por cada gesto que faço, por cada parte de mim que dou.


Preciso de girassóis...

soprado por soprosdemar às 23:06


 

A incerteza de certezas e a certeza da presença de incertezas, isolam-me do mundo. Subo as escadas até à lua, e aí permaneço sentada a observar-nos. Vivemos dias plenos de exactidão, passamos por outros repletos de receios. E não nos apercebemos que somos meros seres de Luz neste planeta, cujo único objectivo é amar!Somos fruto de emoções, acordamos sentimentos e crescemos a esquecer o coração.Darmo-nos a alguém durante tempos infinitos e cair, serve apenas como visionário de algo incorrecto que o coração revelava, mas nossos olhos não queriam ver essa escuridão.Podemos chorar, espernear e barafustar como uma criança contrariada ou levantarmo-nos, sorrir e seguir... percorrendo o nosso destino enublado mas com a certeza de encontrar a luz. Poderá demorar um dia, dois ou três meses, quatro, cinco ou mais anos. Mas descobriremos! Tudo estará dependente da nossa libertação como ser imaculado e presente.
Vivo num mundo de sonho, se me liberto mesmo presa. Vivo num mundo negro, se presa quero libertar-me. E por mais minutos que nos são roubados a cada dia que passa, senão estendermos as nossas asas e voarmos, mesmo com a possibilidade de nova queda, viveremos enclausurados em nós próprios.Estou, conscientemente, a cair e reforço-me. Levantar-me-ei com mais vigor e pronta para abraçar, sorrir e novamente amar.
 
 
Serei sempre borboleta e jamais larva!


 

 

 

autora: eu mesma

 

soprado por soprosdemar às 17:12

Há acontecimentos que nos roubam a vida, mesmo sem morrermos fisicamente. Ocorrem palavras vazias que atraiçoam os sentimentos, desconfianças retrocidas e incertezas presentes.As pedras que sustentam meus passos, desabaram e com elas cai numa espiral indefenida.
Desde a mais pura amizade até a um amor arrebatador, o respeito deverá reinar e para isso torna-se necessário uma viagem pelo nosso coração... descobrir o que auspiciamos e o quanto pretendemos. Nem que seja para escolher uma flor, marcar um almoço, oferecer o nosso tempo.

 

 

 

autora: eu mesma

 

soprado por soprosdemar às 17:08

Fevereiro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
12
13
14
15
16

17
19
20
21
22
23

24
26
27
28
29


PREMIOS
sopros passados
mais sobre mim
pesquisar sopros
 
links
subscrever feeds
sopros passados