São simples sopros que libertam pequenas palavras que me habitam

11
Fev 08


 

Acordas-me,de um pesadelo que me corrói.


 

Mesmo a olhar o mundo, sinto.


 

Sinto que o coração não bate,que não respiro ou vivo.


 

Recordo-te.


 

Relembro cada desalinho do cabelo,cada traço facial,cada pestanejar e sorriso...mesmo que não seja meu.


 

Toco-te, mesmo longe.


 

Reconheço a tua respiração,


 

A suavidade da tua pele,


 

A delicadeza de tuas linhas...Como se fosses meu!


 

Afinal, permaneço no pesadelo.


 

As saudades não dissipam


 

Os dias passam,


 

E as descobertas tardam.


 

Alcanço-te... pelas palavras!


 

 

autora: eu mesma

 

 
soprado por soprosdemar às 22:05

Fevereiro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
12
13
14
15
16

17
19
20
21
22
23

24
26
27
28
29


PREMIOS
mais sobre mim
pesquisar sopros
 
links
sopros passados